inova.jor

inova.jor

Beacon brasileiro pode ser até 50% mais barato que o importado

Surgido de projeto da Embrapii, beacon brasileiro já possui certificação da Anatel / Divulgação
Surgido de projeto da Embrapii, beacon brasileiro já tem homologação da Anatel / Divulgação

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) anunciou que o primeiro beacon (dispositivo que transmite informações de identificação via bluetooth) projetado e fabricado no Brasil já está disponível no mercado.

O dispositivo é até 50% mais barato que o importado, e adota a tecnologia Bluetooth Low Energy.

Ele emite o tempo todo um código que pode ser captado por outros dispositivos bluetooth, como celulares. Esse código pode, por exemplo, disparar o envio de um cupom de desconto quando o usuário estiver numa loja. Ou pode ser aplicado num sistema de localização para ambientes fechados.

O beacon é um dispositivo importante para criação de aplicações de internet das coisas.

Certificação

Desenvolvido em parceria com o CPqD, o beacon será fabricado pela Taggen Soluções IoT, e já está certificado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Apoiado pela Embrapii, o projeto recebeu um investimento total de R$ 538 mil.

Publicações relacionadas

Andrei Risso, da Huawei, fala sobre reciclagem de eletrônicos

Huawei: Por que é importante reciclar eletrônicos

A Huawei Brasil tem uma operação pioneira, na corporação, de logística reversa de eletrônicos. A atividade está de acordo com a Agenda 2030, das Organizações das Nações Unidas (ONU), que define um conjunto de objetivos de desenvolvimento sustentável. Entre as metas definidas pela Agenda 2030 está “assegurar padrões de produção[…]

Leia mais »
Yihyun Lim, do MIT, falou sobre tendências como internet das coisas emocionais e biodesign / Renato Cruz/inova.jor

Prepare-se para a internet das coisas emocionais

E se uma luminária começasse a conversar com você no saguão do hotel, e oferecesse presentes, a partir de suas informações pessoais? Pode ser interessante, mas também pode ser muito estranho. Yihyun Lim, diretora do Design Lab do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), falou ontem[…]

Leia mais »