inova.jor

inova.jor

Brasil perde 15,1 milhões de linhas móveis em 12 meses

O total de linhas móveis com tecnologia 4G cresceu 120% em 12 meses / Tony Alter/Creative Commons
O total de linhas móveis com tecnologia 4G cresceu 120% em 12 meses / Tony Alter/Creative Commons

O Brasil perdeu 15,1 milhões de linhas móveis no período de 12 meses encerrado em fevereiro, chegando a 242,9 milhões de linhas, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Dentre os quatro maiores grupos, apenas a Vivo apresentou um crescimento, com 654,2 mil novas linhas. TIM, Claro e Oi registraram quedas de 5,2 milhões, 5,2 milhões e 5,8 milhões, respectivamente.

A operadora virtual Datora ganhou 57,9 mil linhas e a Porto Seguro conquistou 118,3 mil.

Tecnologia

Em 12 meses, a quarta geração das comunicações móveis (4G) avançou 120%, o que corresponde a 36,3 milhões de linhas adicionais.

Os acessos de dados voltados à comunicação máquina a máquina (M2M) também cresceram, com 1,6 milhão de novas linhas.

As demais tecnologias de telefonia móvel tiveram redução, segundo a Anatel.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Banda larga: Pequenos provedores de internet já consomem mais da metade da fibra óptica vendida no Brasil / Divulgação

Por que precisamos de um plano de banda larga

O crescimento da banda larga fixa no Brasil vem desacelerando. Apesar da importância do celular para o acesso à internet, uma boa conexão fixa é essencial para serviços como streaming de vídeo. Nos 12 meses encerrados em março, a banda larga fixa acumulou crescimento de 5,1%. Em 2015, o avanço[…]

Leia mais »
Beatriz de Faria Leão, do Hospital Sírio-Libanês, fala sobre a aplicação de TICs à área de saúde no Brasil

‘O 5G vem para revolucionar a saúde’

A quinta geração das comunicações móveis (5G) deve revolucionar a área de saúde, segundo Beatriz de Faria Leão, coordenadora do curso de especialização em informática em saúde do Hospital Sírio-Libanês. “Toda essa área de IoT (internet das coisas) é fundamental para pacientes crônicos”, afirma a médica, em entrevista ao inova.jor[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *