inova.jor

inova.jor

Por que o setor de infraestrutura precisa de mais software

Aplicação de mais software à infraestrutura pode reduzir custos e criar empregos / Ariel Gracelli/Creative Commons
Aplicação de mais software à infraestrutura pode reduzir custos e criar empregos / Ariel Gracelli/Creative Commons

Trânsito parado, voo atrasado, vazamento de água e falta de luz. Em maior ou menor escala, esses percalços fazem parte do cotidiano de todos e são sinais de que nossa infraestrutura precisa de uma atualização.

Vivemos na era da internet banda larga, da nuvem e do big data, mas nossa infraestrutura não é muito diferente do que era quando a televisão era em preto e branco.

Nossa infraestrutura anacrônica afeta nossa segurança, além de ser um gargalo para o crescimento do país.

Conforme nossos projetos vão ficando maiores e mais complexos, cresce a necessidade de diminuir prazos e custos, mantendo a qualidade e a segurança.

É exatamente o uso da tecnologia, mais especificamente, do software, que pode ajudar a transpor esses desafios estruturais.

Existem ferramentas de software que projetam de forma mais inteligente, constroem com mais agilidade e ajudam a gerenciar fluxos com mais precisão. Os softwares expandem o potencial da nossa infraestrutura.

Redução de custos

Nuvem: Pitanga, da BSA / Divulgação
Pitanga, da BSA / Divulgação

Não é só a nossa infraestrutura que é atrasada, mas também a maneira de planejá-la, desenhá-la e construí-la é ultrapassada.

Ainda usamos ferramentas e técnicas criadas numa época em que tínhamos menos habitantes, pressa e demanda.

Um estudo recente da Software.org, organização de pesquisa internacional, independente e apartidária, indica que o uso de softwares Building Information Modeling (BIM) pode reduzir os custos de construções em 33%.

Softwares de navegação de última geração reduzem o atraso se voos em 35%. Já o fluxo de veículos melhora entre 5% e 25% com softwares de tráfego adaptáveis.

Enquanto isso, o número de acidentes cai em 90% o uso de softwares em veículos autônomos.

Criação de empregos

Isso quer dizer que o gargalo da nossa infraestrutura representa não apenas um enorme potencial de melhora na qualidade de nossas estradas, pontes e aeroportos, mas também é uma enorme oportunidade de criar milhões de empregos, impulsionando a economia.

Por isso, qualquer plano de expansão de infraestrutura deve incluir, obrigatoriamente, investimentos em tecnologia. Eles são pré-requisitos para as infinitas possibilidades geradas pelos softwares.

  • Antonio Eduardo Mendes da Silva (Pitanga) é country manager da BSA para o Brasil

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O InovaBra Habitat, do Bradesco, conta com parceria da WeWork / Egberto Nogueira/Divulgação

Bradesco apresenta o espaço de coworking InovaBra Habitat

O Bradesco apresentou hoje (7/2) o espaço de inovação InovaBra Habitat, próximo da região da Avenida Paulista, em São Paulo. Ele tem como objetivo gerar negócios baseados em tecnologias como: blockchain, big data, internet das coisas, inteligência artificial, APIs abertas, e plataformas digitais. Coworking O espaço já está sendo usado[…]

Leia mais »
O jornalista Renato Cruz comenta a transição da Microsoft para o modelo de computação em nuvem

Como está a transição da Microsoft para a nuvem

O jornalista Renato Cruz comenta a transição da Microsoft para o modelo de computação em nuvem. Ontem (20/7), a empresa divulgou seus resultados do quarto trimestre fiscal. A receita da divisão Intelligent Cloud alcançou US$ 7,4 bilhões, um crescimento de 11% sobre o mesmo período de 2016. Assine o canal do[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *