inova.jor

inova.jor

Atech, da Embraer, aposta em mercado corporativo e cidades

O mercado de cidades inteligentes é um dos focos da Atech para diversificar operações / Rafael Carvalho/Creative Commons
O mercado de cidades inteligentes é um dos focos da Atech para diversificar operações / Rafael Carvalho/Creative Commons

Criada em 1997 para desenvolver software para o Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam), a Atech pertence hoje ao Grupo Embraer.

Em 2011, a Embraer Defesa & Segurança comprou 50% da Atech por R$ 36 milhões e, dois anos depois, adquiriu o restante da empresa.

Atualmente, a empresa busca diversificar sua atuação, com uma oferta de soluções para além dos mercados de defesa, segurança e controle de tráfego aéreo.

A recém-criada divisão corporativa da empresa oferece soluções nas áreas de:

“Nossa atuação no mercado corporativo começou em 2012/2013, principalmente no setor de energia”, afirma Marcelo Eskenazi, diretor de Negócios Corporativos da Atech.

A empresa emprega cerca de 400 pessoas.

Cidades inteligentes

Outra aposta da Atech são soluções de cidades inteligentes.

Uma solução chamada Arkhe Governance foi desenvolvida pela companhia para integrar diversos sistemas legados de secretarias e órgãos públicos.

O objetivo é permitir que administradores públicos possam monitorar projetos de forma integrada e em tempo real.

Cláudio Nascimento, gerente de vendas da Atech, destaca a publicação, em janeiro deste ano, da norma NBR ISO 37120:2017 pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Trata-se da versão brasileira de uma norma internacional que define metodologia de indicadores relacionados ao desenvolvimento sustentável de comunidades urbanas.

Os indicadores medem o desempenho de serviços urbanos e a qualidade de vida da população.

“Oferecemos um sistema que permite otimizar o uso de recursos e enxergar de forma abrangente o que acontece na cidade”, diz Nascimento.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Eric Hutto (dir.), da Unisys, fala da importância da tecnologia para o governo / Renato Cruz/inova.jor

‘Tecnologia precisar ser prioritária na agenda do governo’

A transformação digital do governo é um tema prioritário nas maiores economias do mundo, tanto em países desenvolvidos quanto em desenvolvimento. Mas ainda não no Brasil. Para Eric Hutto, presidente sênior da Unisys, as eleições deste ano são uma oportunidade para mudar esse cenário. A digitalização pode tornar o governo[…]

Leia mais »
Estudo da Dell EMC mostrou que automação de processos como ponto fraco na transformação digital / Renato Cruz/inova.jor

Empresas estão pouco preparadas para transformação digital

Um estudo da Dell EMC e da Intel, encomendado à IDC Brasil, mostrou que as empresas brasileiras estão pouco preparadas para a transformação digital. Numa escala de 0 a 100, a nota média das companhias pesquisadas ficou em 43,7. Foram entrevistados 250 decisores de tecnologia da informação de empresas privadas[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *