inova.jor

inova.jor

Qual é o valor das marcas brasileiras de tecnologia

A Apple lidera o ranking mundial das marcas mais valiosas da Interbrand / Divulgação
A Apple lidera o ranking mundial das marcas mais valiosas da Interbrand / Divulgação

A Interbrand divulgou o ranking das marcas mais valiosas do Brasil. Nos cinco primeiros lugares estão três bancos e duas cervejarias:

  • Itaú – R$ 28,196 bilhões (+6%);
  • Bradesco – R$ 22,113 bilhões (+18%);
  • Skol – R$ 16,040 bilhões (+8%);
  • Brahma – R$ 11,200 bilhões (+5%); e
  • Banco do Brasil – R$ 10,327 bilhões (+3%).

O perfil dessa lista é bem diferente do ranking mundial:

  • Apple – US$ 184,154 bilhões (+3%);
  • Google – US$ 141,703 bilhões (+6%);
  • Microsoft – US$ 79,999 bilhões (+10%);
  • Coca-Cola – US$ 69,733 bilhões (-5%); e
  • Amazon – US$ 64,796 bilhões (+29%).

A lista global traz quatro empresas de tecnologia entre as cinco marcas mais valiosas. A exceção, Coca-Cola, perdeu valor no último ano.

Tecnologia de consumo

Os resultados mostram como empresas brasileiras são fracas no mercado de tecnologia para o consumidor. A Vivo, em nono lugar, é a primeira empresa relacionada ao setor a aparecer na lista do Brasil.

Depois dela, aparece a Totvs, em vigésimo. A Totvs, no entanto, atua no mercado corporativo, oferecendo sistemas de gestão empresarial.

Publicações relacionadas

Melhores filmes: O camponês Franz Jägerstätter se recusa a entrar para o exército nazista / Reprodução

Quais foram os melhores filmes de 2020

Num ano em que ficamos quase todo tempo impedidos de frequentar salas de cinema, a maior parte da lista abaixo foi vista no streaming. Apesar de A vida oculta e O farol terem sido lançados fora do Brasil em 2019, saíram por aqui no começo do ano, e estão entre[…]

Leia mais »
Internet: Interfaces de voz, como o Echo, da Amazon, é uma das principais tendências / Rob Albright/Creative Commons

Quando as máquinas aprendem a conversar de verdade

Máquinas que entendem comandos de voz já viraram lugar comum, mas os sistemas de inteligência artificial ainda não são capazes de participar de uma conversa de verdade, como o C-3PO, de Star Wars (ou o HAL 9000, de 2001, para dar um exemplo não tão benigno). A Amazon quer mudar isso, e[…]

Leia mais »