inova.jor

inova.jor

O que esperar da tecnologia em 2018

Tecnologia: A Siemens apresentou aplicações baseadas no conceito de gêmeo digital em Hannover / Renato Cruz/inova.jor
A Siemens apresentou aplicações baseadas no conceito de gêmeo digital em Hannover / Renato Cruz/inova.jor

Este ano promete ser de mudanças rápidas no mercado. Tecnologias consolidam-se e trazem resultados mais amplos a partir de agora.

Abaixo, destaco quatro tendências apontadas por pesquisas e relatórios internacionais que devem se fortalecer durante 2018.

1. Interface invisível

Com o avanço da tecnologia digital, consumidores convivem com uma proliferação de interfaces. Cada equipamento e cada aplicativo têm maneiras próprias de interação.

Assistentes de voz como Alexa (Amazon), Google Assistant, Siri (Apple) e Cortana (Microsoft) são um primeiro passo na direção em que aplicativos e equipamentos que entendem os usuários.

Pesquisa da Ericsson destacou que mais da metade das pessoas acredita que usaremos linguagem corporal, entonação, toque e gestos para interagir com a tecnologia da mesma forma que interagimos com outras pessoas.

Dois terços acham que isso acontecerá em três anos.

Oitenta e um por cento dos usuários de assistentes de voz acreditam que o teclado e o mouse vão se tornar coisa do passado nos próximos cinco anos.

2. Blockchain além do bitcoin

O blockchain, tecnologia por trás de moedas digitais como o bitcoin, torna-se cada vez mais presente em ambientes corporativos.

Com gestão e autenticação distribuídas, a tecnologia permite criar aplicações de baixo custo para processar transações e para compartilhar dados entre instituições.

Exemplo disso foram testes realizados no ano passado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Num deles, Itaú, Bradesco e B3 usaram o blockchain para compartilhar cadastros fictícios de clientes.

Sem a tecnologia, uma solução desse tipo exigiria tanto investimento e tempo de desenvolvimento que provavelmente a tornaria inviável.

3. Gêmeo digital

A internet das coisas permite a criação de redes cada vez mais completas. Para dar conta dessa complexidade, foi criado o conceito de gêmeo digital, representação virtual de um ente ou sistema real.

Ele serve, por exemplo, para monitorar as condições de uma linha de produção, e para testar novas configurações dessa linha e obter ganhos de produtividade.

Segundo a consultoria Gartner, haverá 21 bilhões de sensores e dispositivos conectados em 2020. Os gêmeos digitais poderão reduzir em bilhões de dólares os gastos com manutenção, reparo e operações.

Também existem aplicações da tecnologia para além das coisas. É possível criar gêmeos digitais de humanos, a partir de dados médicos e biométricos, ou de cidades inteiras, para simulações avançadas.

4. Computação de borda

O movimento de transferir sistemas para a nuvem, verificado nas últimas décadas, tem enfrentado forças contrárias recentemente.

Aplicações móveis e de internet das coisas fazem com que as empresas identifiquem vantagens em trazer capacidades de processamento e armazenamento mais próximas de dispositivos e usuários.

Segundo Mahadev Satyanarayanan, esses nós de rede menores, localizados nas bordas da internet, são chamados de cloudlets.

A computação de borda permite:

  • resposta mais rápida;
  • menor consumo de banda;
  • fortalecimento da privacidade;
  • redundância e contingência.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

CPFL Energia seleciona projetos inovadores / Divulgação

CPFL Energia seleciona projetos de inovação

A CPFL Energia está com inscrições abertas para chamada pública de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação no setor elétrico. A iniciativa está de acordo com o Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os temas propostos são: perdas comerciais – projetos que otimizem[…]

Leia mais »
A Nayana, na Coreia do Sul, pagou US$ 1 milhão de resgate pelas informações de seus servidores / Mario Sánchez Prada/Creative Commons

Por que os ataques digitais às empresas têm aumentado

Os ataques digitais às empresas têm ganhado cada vez mais visibilidade. Neste ano, centenas de milhares de computadores ao redor do mundo foram infectados pelos ransomwares Petya e WannaCry, que impedem o acesso às informações dos computadores e exigem o pagamento de um resgate para liberá-lo. Recentemente, uma invasão à[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami