inova.jor

inova.jor

Aibo, o cachorro robô da Sony, volta ao mercado

Fabricado pela Sony, o Aibo volta ao mercado depois de mais de uma década / Reprodução
Fabricado pela Sony, o Aibo volta ao mercado depois de mais de uma década / Reprodução

Em inglês, Aibo é o acrônimo de Artificial Intelligence Bot, ou robô de inteligência artificial. Apesar do nome pomposo, é um cachorro eletrônico fabricado pela Sony.

Em japonês, seu nome quer dizer “companhia”.

O robô esteve em bastante evidência entre 1999, quando foi lançado, e 2006, quando deixou de ser produzido.

Uma nova versão do Aibo chega ao mercado japonês na próxima quinta-feira (11/1), com preço de 198 mil ienes (R$ 5,7 mil). O dono do robô também precisa pagar uma mensalidade de serviços de nuvem, de 2.980 ienes (R$ 86).

A Sony demonstra a nova versão do Aibo no evento CES 2018, que acontece nesta semana em Las Vegas.

O corpo do robô tem 22 eixos de movimento, e seu par de olhos funciona com tecnologia Oled, também usada em telas de celulares.

A bateria tem cerca de duas horas de duração, com recarga de três horas.

Inteligência artificial

Segundo a Sony, o Aibo consegue reconhecer rostos e o ambiente que o circunda. O robô desenvolve sua personalidade conforme vai sendo usado.

As informações diárias vão sendo registradas na nuvem, e podem ser acessadas por meio de um aplicativo. É possível pedir para o robô tirar uma foto, para registrar o momento.

Ele tem conexão wi-fi e 4G.

Em 2006, a Universidade Carnegie Mellon considerou o Aibo “o produto mais sofisticado já oferecido no mercado de consumo de robôs”, ao nomeá-lo para o Hall da Fama de Robôs.

A tecnologia desenvolvida para ele foi posteriormente aplicada no Qrio, robô humanoide também produzido pela Sony.

O Japão tem tradição de lançar robôs de uso doméstico, para companhia e entretenimento.

Publicações relacionadas

Grandes empresas devem migrar para nuvem mesmo com infraestrutura própria / Chirstopher Bowns / Creative Commons

Solução de nuvem pode reduzir custo de TI em 25%

As empresas de grande porte podem economizar, ao longo de cinco anos, ao menos 25% no total dos custos em tecnologia da informação (TI) se adotarem uma nuvem privada a partir de infraestrutura existente. O valor foi calculado pela Nokia e tem como base o modelo de custo total de propriedade[…]

Leia mais »
A Voith criou um mercado digital de papel reciclado nos Estados Unidos / Divulgação

Aos 150 anos, Voith aposta na transformação digital

Fundada em 1867, a Voith fortalece sua presença no mundo digital. O grupo alemão fornece máquinas para setores como energia, petróleo e gás, papel, extração de matérias-primas e transporte e automotivo. Recentemente, criou a divisão Digital Solutions, que reúne suas operações de tecnologia da informação, automação, software e sensoriamento. Diante[…]

Leia mais »