inova.jor

inova.jor

Mercado brasileiro de contact center deve crescer 7,5%

Contact Center: Serviço de atendimento ao cliente e televendas devem apresentar retração / Media Club/Creative Commons
Serviço de atendimento ao cliente e televendas devem apresentar retração / Media Club/Creative Commons

O mercado brasileiro de contact center, considerando operações próprias e terceirizadas, deverá crescer 7,5% neste ano, com faturamento de R$ 51,26 bilhões, segundo a E-Consulting.

Em 2018, a receita do setor chegou a R$ 47,69 bilhões.

O crescimento deve ser puxado pelas áreas de autoatendimento e autosserviço, que usam tecnologias como aplicativos, mídias sociais, bots e unidades de resposta audível.

Segundo a consultoria, esses serviços devem avançar 26% em 2018, com faturamento de R$ 2,42 bilhões.

Também devem apresentar expansão os serviços de recuperação de crédito e cobrança, com receita de R$ 4,29 bilhões e avanço de 8,33% sobre o ano passado.

Queda na receita

A atividade de serviço de atendimento ao consumidor tem retração prevista de 3,4%, com receita de R$ 6,21 bilhões. A de televendas tem queda projetada de 5,5%, ficando em R$ 2,87 bilhões.

A pesquisa ouviu 613 das mil maiores empresas brasileiras e os 50 maiores operadores de contact center do Brasil. Ela foi feita em parceria com o Sindicato Paulista das Empresas de Telemarketing, Marketing Direto e Conexos (Sintelmark).

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

A estratégia de internet das coisas da Samsung passa por todas linhas de produtos / Renato Cruz/inova.jor

CES 2017: Samsung quer que você converse com a geladeira

LAS VEGAS A Samsung anunciou hoje (4/1) a segunda geração de sua linha de geladeiras conectadas, chamada de Family Hub 2.0. Uma das principais novidades foi a incorporação de comandos de voz. É possível, por exemplo, pedir para a geladeira (que tem uma tela sensível ao toque integrada) tocar músicas[…]

Leia mais »

Lenovo espera que PCs comecem a sair da crise

As vendas de computadores despencaram no ano passado. Segundo dados da consultoria IDC, a redução chegou a 36% no Brasil, resultando no pior ano desde 2005. A expectativa para este ano é de mais um período difícil para as fabricantes de computadores, com retração prevista de 18% nas vendas. Na contramão dessa[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *