inova.jor

inova.jor

O que o brasileiro sentiu na estreia da seleção na Copa

A estreia na Copa envergonhou o brasileiro, mas não o desmotivou de continuar torcendo / Lucas Figueiredo/CBF
A estreia da seleção na Copa envergonhou o brasileiro, mas não o desmotivou de continuar torcendo / Lucas Figueiredo/CBF

Apesar de os sentimentos positivos serem predominantes entre os torcedores brasileiros, a estreia da seleção na Copa da Rússia causou vergonha.

Pelo menos foi isso que a torcida expressou no Twitter. A AP/Exata analisou 440.716 tuítes entre os dias 14 e 17 deste mês, para identificar as emoções do Brasil antes e durante o jogo contra a Suíça.

Torcedor brasileiro sentiu vergonha / Fonte: AP/Exata

No início do jogo, o brasileiro estava bastante orgulhoso da Seleção, segundo a AP/Exata, com 61% de orgulho e 39% de vergonha.

A intensidade do orgulho atingiu 73% depois do gol do Brasil, com 26% de vergonha. Com o gol da Suíça, o sentimento se inverteu, para 53% de vergonha e 46% de orgulho.

Mas o sentimento positivo recuperou-se logo em seguida, para depois cair de novo ao fim do jogo, quando os torcedores perceberam que o empate seria o placar definitivo.

Depois do final da partida, a vergonha chegou a 61% e o orgulho caiu para 38%.

A estreia do Brasil na Copa fez o torcedor ficar pessimista / Fonte: AP/Exata

O resultado da estreia também fez o brasileiro ficar pessimista. Durante a maior parte do jogo, os sentimentos de otimismo e pessimismo ficaram bem balanceados.

Com o gol da Suíça, o pessimismo passou a predominar, intensificando-se depois da partida.

Torcedor começou o jogo esperançoso / Fonte: AP/Exata

O torcedor passou a maior parte do jogo esperançoso. No início da partida, a esperança predominava com 70%, frente a 30% de descrédito.

No fim da partida, os dois sentimentos eram equivalentes.

Motivação

“O jogo envergonhou o torcedor, mas não o desmotivou a continuar torcendo pela seleção”, escreveu Sergio Denicoli, responsável pelo estudo.

Segundo ele, os sentimentos de esperança/descrédito ficaram focados na estreia da seleção.

Quando expressaram otimismo/pessimismo, no entanto, os torcedores misturaram as impressões sobre o jogo com sentimentos em relação ao país como um todo, citando questões econômicas e sociais.

“E, nesse quesito, acreditamos que um bom desempenho do Brasil na Copa poderá dar aos brasileiros um pouco mais de ânimo em relação ao país, pois a esperança está ali, sempre presente”, completou.

Com presença em Vitória, Brasília e Braga (Portugal), a AP/Exata é uma startup que trabalha com inteligência artificial, monitoramento de redes sociais e netnografia (análise de informações em meios online).

Sua metodologia tem como base o modelo de análise de emoções proposto por Robert Plutchik, professor da University of South Florida. Os algoritmos da empresa conseguem identificar até 32 sentimentos.

Publicações relacionadas

Beatriz de Faria Leão, do Hospital Sírio-Libanês, fala sobre a aplicação de TICs à área de saúde no Brasil

‘O 5G vem para revolucionar a saúde’

A quinta geração das comunicações móveis (5G) deve revolucionar a área de saúde, segundo Beatriz de Faria Leão, coordenadora do curso de especialização em informática em saúde do Hospital Sírio-Libanês. “Toda essa área de IoT (internet das coisas) é fundamental para pacientes crônicos”, afirma a médica, em entrevista ao inova.jor[…]

Leia mais »
Pure Storage: Godoy (e.) e Saraiva (c.) falam sobre inteligência artificial / inova.jor

Pure Storage e Nvidia apostam em inteligência artificial

A inteligência artificial tem aplicações que vão do combate a fraudes financeiras a análises genéticas para apoiar o combate à covid-19. Paulo de Godoy, country manager da Pure Storage, e Marcel Saraiva, gerente de Contas Corporativas da Nvidia, conversam sobre a parceria das empresas nessa área com o jornalista Renato[…]

Leia mais »