inova.jor

inova.jor

Estudo aponta empresas de tecnologia como as mais confiáveis

Tecnologia é o setor de maior confiança, de acordo com o Edelman Trust Barometer 2019, estudo global da agência Edelman sobre o nível de confiança em diversos setores da sociedade.

O setor, que recebeu 78% de confiabilidade, de acordo com 33 mil entrevistados em 27 países, foi seguido pela indústria (70%) e pelo setor automotivo (70%).

Serviços financeiros (57%) foram considerados os menos confiáveis.

CEO é o novo herói social

Na edição deste ano, 76% dos entrevistados afirmaram que os CEOs devem assumir a gestão da mudança, no lugar de esperar que o governo a imponha.

Esse número aumentou 11 pontos percentuais em relação a 2018.

E 73% acreditam que uma empresa pode adotar ações que aumentem os lucros e melhorem as condições econômicas e sociais da comunidade onde ela opera.

Os funcionários também esperam que as empresas se juntem a eles ativamente na defesa de questões sociais (67%).

Isso mostra que os governos estão perdendo a credibilidade em lidar com desafios complexos e a atenção agora é para as corporações e como elas encaram problemas enfrentados pela sociedade.

O estudo também revelou que a confiança nas empresas como empregadoras aumentou.

Para os entrevistados, as empresas para as quais trabalham (75%) são mais confiáveis do que ONGs (57%), governo (48%) e mídia (47%).

Trust Barometer 2019

A confiança nos negócios é menor entre as mulheres.

Apenas 53% delas acreditam nas empresas, enquanto 60% dos homens admitem confiar nelas.

Esse ponto pode ser explicado pelo movimento mundial de mulheres lutando por equidade e melhores condições de trabalho.

Apesar desses bons índices de confiabilidade no mundo corporativo, os entrevistados admitem temer a automação e o ritmo da inovação.

Trust Barometer 2019

Mídia tradicional versus mecanismos de busca

O consumo de mídia e o compartilhamento de notícias entre os entrevistados é de 72%.  

A confiança na mídia tradicional (65%) e mecanismos de busca (65%) estão em seus níveis históricos mais altos.

A confiança nas mídias sociais (43%) permaneceu baixa, principalmente em regiões como a Europa, que apresenta 26 pontos de diferença entre confiança nas mídias tradicionais e sociais.

A confiança no jornalismo continua alta, embora haja preocupação com fontes confiáveis ​​de notícias.

Hora da mudança

A alta credibilidade dos mecanismos de busca e das empresas demonstram que as pessoas estão apostando mais em relacionamentos dentro de seu controle.

Esses dados podem indicar a importância das empresas investirem não apenas na educação dos colaboradores, mas na educação do público em geral sobre os desafios, tecnologia, responsabilidade social e posicionamento sobre os temas de interesse das comunidades onde elas atuam.

Publicações relacionadas

Investidores brasileiros buscam bitcoins

Num cenário de crise, faz sentido investir em bitcoins? Com a desvalorização do real e a expectativa de cobrança de impostos sobre transações, com um possível retorno da CPMF, os investidores brasileiros buscam alternativas de investimento. O bitcoin é uma moeda virtual anônima, que não está vinculada a nenhum banco central, e[…]

Leia mais »
Mesa redonda discute infraestrutura de TI sob demanda / Tiago Queiroz/inova.jor

Como está o mercado de infraestrutura de TI sob demanda

O modelo de infraestrutura de tecnologia da informação (TI) sob demanda já está consolidado, mas ainda é preciso romper algumas barreiras e avaliar as melhores formas de adotar soluções de nuvem em cada empresa. Sistemas híbridos, que combinam nuvem pública e privada, ganham força no mercado. O valor do investimento[…]

Leia mais »