inova.jor

inova.jor

Como a inteligência artificial pode tornar o Brasil mais eficiente

A BRF adotou inteligência artificial para atendimento de TI / Divulgação
A BRF adotou inteligência artificial para atendimento de TI / Divulgação

O Brasil precisa ganhar produtividade. É bastante conhecido o indicador de que um trabalhador brasileiro produz o equivalente a um quarto do americano.

Uma parte da solução está no investimento em tecnologia e inovação. Ferramentas de inteligência artificial (IA) podem multiplicar a eficiência de empresas.

“Estamos comprometidos em assegurar que todos os brasileiros se beneficiem desses avanços”, disse hoje (12/2) Satya Nadella, CEO mundial da Microsoft, durante evento em São Paulo.

Um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), encomendando pela Microsoft, analisou os setores do agronegócio, transporte e comunicação, óleo e gás e setor público, que respondem por 36,4% da economia brasileira.

Segundo a FGV, a adoção de IA nesses setores podem levar a um crescimento de 6,43% do Produto Interno Bruto (PIB) num período de 15 anos.

A Microsoft tem uma das plataformas mundiais de IA. Outros fornecedores de destaque nesse mercado são a Amazon, Google e IBM.

Atendimento

Uma aplicação brasileira de IA é a Exceptional Value Assistante (EVA), assistente que resolve dúvidas e problemas de tecnologia da informação (TI) dos funcionários da companhia.

Desenvolvida em 2017, numa parceria com a IBM, a EVA atende a cerca de 2,5 mil chamadas por mês pelo chat, em português, espanhol e inglês.

O tempo médio de resolução é de cinco minutos, com respostas instantâneas a 55% das interações.

O índice de aprovação do serviço é de 94%. A EVA está preparada para atender mais de 70 assuntos de TI.

“Para atendermos essas chamadas, precisaríamos de mais três analistas”, afirmou Gustavo Oliveira, administrador da ferramenta na BRF.

Além disso, o atendimento humano seria mais demorado. “Reduzimos de 15 para dois minutos o tempo para configurar uma impressora.”

A IA é uma alternativa interessante de autosserviço, que poderia ser levada a outro setores.

“Estamos aprendendo bastante com esta aplicação”, afirmou Leo Rahn, coordenador de TI na BRF.

Crescimento

A IDC estima que 15,3% das médias e grandes empresas brasileiras têm a IA como uma de suas principais iniciativas de tecnologia. Esse percentual deve dobrar em quatro anos.

Segundo a consultoria, as aplicações mais promissoras estão em:

  • atendimento a clientes,
  • análise e investigação de fraudes,
  • automação de TI, e
  • diagnósticos e tratamentos de saúde. 

A previsão para 2022 é que 20% das empresas brasileiras adotem IA para oferecer interface de voz no atendimento a clientes.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Embrapii irá investir em chamadas públicas, parcerias e bolsas de pesquisa / MCTIC / Creative Commons

Embrapii anuncia pacote de inovação de R$ 100 milhões

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) irá investir R$ 100 milhões em recursos em inovação por meio de parcerias e chamadas públicas. A primeira chamada pública será destinada a três Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs), ligados ao Ministério da Educação. Eles passarão a ser[…]

Leia mais »
Primeiro uso comercial do Multi, elevador sem cabos da Thyssenkrupp, será em Berlim / Divulgação

Elevador da ThyssenKrupp também vai para os lados

A Thyssenkrupp inaugurou, na semana passada, um sistema de elevador sem cabos, que também se move para os lados. Chamado de Multi, foi instalado numa torre de 246 metros em Rottweil, no centro de pesquisa e desenvolvimento da empresa na Alemanha. No lugar de uma única cabina, que se move[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *