inova.jor

inova.jor

O que esperar das redes empresariais do futuro

 A infraestrutura de redes é a base da operação comercial atual e futura /  Kevin Doncaster
A infraestrutura de redes é a base da operação comercial atual e futura / Kevin Doncaster

Na era digital em que vivemos, os dados se tornaram a nova moeda. Tanto que o fluxo de dados seguro e sem obstáculos é essencial para a sobrevivência de qualquer empresa.

Nesse cenário, várias companhias perceberam que atender completamente os requisitos de segurança, conformidade e capacidade de rede é a chave para o crescimento e expansão dos negócios.

Assim, podemos afirmar que a infraestrutura de rede é a base da operação comercial atual e futura.

Sem dúvida, redes inteligentes e sempre ativas fornecem a base para uma transformação digital bem-sucedida.

Mas quais são as tendências nas redes de negócios que os CIOs devem analisar cuidadosamente em 2019?

Inteligência artificial a serviço da rede

Jair Longo, da Citrix / Divulgação
Jair Longo, da Citrix / Divulgação

Cada vez mais provedores de equipamentos de rede melhoram suas ofertas usando inteligência artificial (AI, na sigla em inglês), principalmente na forma de machine learning, para melhorar a administração e a segurança da rede.

Algoritmos de aprendizado de máquina monitoram continuamente o tráfego da rede, procurando por desvios suspeitos dos padrões de tráfego estabelecidos.

O mesmo tipo de monitoramento assistido é usado para verificar a rede em busca de possíveis vulnerabilidades ou invasores.

Os hackers geralmente entram num ambiente de rede obtendo credenciais reais dos usuários e, em seguida, podem atacar e alcançar seus próprios fins.

Ao fazer isso, eles criam desvios do comportamento habitual da rede do usuário, que a AI pode detectar.

No entanto, um problema comum neste cenário é que os mecanismos de detecção podem ser tão bons quanto os padrões de dados nos quais o sistema de está ativado.

Redes cada vez mais autônomas

A longo prazo, as redes evoluirão para incluir a AI otimizada. Isso dará à rede impulso de diferentes maneiras.

Primeiro, permitirá que a rede realmente aprenda sozinha, sem a necessidade de padrões pré-estabelecidos alimentados por humanos.

Uma vez que a rede detecta que uma atividade é suspeita, ela preparará o histórico de tráfego de rede do usuário automaticamente para uma inspeção forense, se a equipe de tecnologia da informação (TI) permitir que ela prossiga dessa maneira.

O impacto do IoT na rede

A incorporação do IoT e IIoT (sigla de internet das coisas industrial) na rede criará toda uma série de novas tarefas, perfis de trabalho e responsabilidades.

Especialistas em TI terão que lidar com uma ampla seleção de novos terminais (máquinas, fábricas e escritórios inteligentes).

A rede também terá que interagir com automóveis autônomos, juntamente com outros tipos de veículos autônomos, bem como novos dispositivos inteligentes que serão adicionados à rede corporativa no futuro.

Combinado com os recursos da IA, uma rede de IoT habilitada por IA, por exemplo, permitirá que os agricultores enviem drones para campos para aplicar pesticidas de uma maneira muito específica, com vários drones que coordenarão o trabalho entre eles de forma autônoma.

Tudo definido por software

As redes do futuro, cada vez mais dinâmicas, diversificadas e orientadas em tempo real, serão definidas por software.

“Definida por software” significa que a funcionalidade é desacoplada do hardware, o que torna o hardware cada vez mais intercambiável.

Como em um ambiente de servidor virtual, todas as decisões importantes são tomadas em uma camada de software extraída do código de hardware específico.

Essa abordagem será aplicada em todas as empresas do futuro.

Será tarefa do departamento de TI definir, por meio de configurações, regras e políticas, quais tipos de comportamento de rede definidos pelo software que desejam estabelecer.

A rede da próxima geração vai preparar o caminho para automatizar tarefas que anteriormente exigiam intervenção manual e tempo.

Também permitirá novos fluxos de trabalho que nunca foram possíveis. Dessa forma, a rede acelerará um grande número de fluxos de trabalho existentes e permitirá processos de negócios completamente novos, do data center à borda da rede e à nuvem.

Para concluir, conectividade de rede sólida é um imperativo para a competitividade dos negócios futuros.

Para maximizar os benefícios das redes inteligentes, os CIOs precisam de soluções que permitam a alocação dinâmica de recursos na rede local e em vários ambientes de nuvem.

Além disso, esse modelo permitirá que a moderna rede de negócios seja moldada, proporcionando melhor desempenho, redução de custos e maior segurança.

E é possível começar o futuro hoje.

Como o famoso escritor de ficção científica William Gibson disse uma vez: “O futuro está aqui, ele simplesmente não é distribuído uniformemente”.

  • Jair Longo é diretor sênior de Delivery Networks de Citrix para América Latina e Caribe

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Aplicação de mais software à infraestrutura pode reduzir custos e criar empregos / Ariel Gracelli/Creative Commons

Por que o setor de infraestrutura precisa de mais software

Trânsito parado, voo atrasado, vazamento de água e falta de luz. Em maior ou menor escala, esses percalços fazem parte do cotidiano de todos e são sinais de que nossa infraestrutura precisa de uma atualização. Vivemos na era da internet banda larga, da nuvem e do big data, mas nossa[…]

Leia mais »
Adoção de tecnologias digitais intensifica interconexão, escreve Lordelo / Divulgação

Por que a interconexão cresce mais rápido na América Latina

A dinâmica dos mercados emergentes e a crescente adoção de tecnologias digitais intensificam a interconexão e a troca de tráfego entre empresas pela América Latina. Um impulsionador é a centralização do setor de serviços financeiros em São Paulo, o que torna a cidade o maior polo financeiro da região. Além[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *