inova.jor

inova.jor

Análise de linguagem com big data auxilia tomada de decisões

Análise de linguagem: Mergulhar no big data da semântica pode ajudar empresas / Renato Cruz/inova.jor
Mergulhar no big data da semântica pode ajudar empresas / Renato Cruz/inova.jor

Para profissionais que lidam todos os dias com números, falar em análise de linguagem ou padrões semânticos que auxiliem a tomada de decisões estratégicas pode ser algo novo.

Embora a semântica faça parte dos estudos tradicionais de linguística, aliar o significado das palavras e sua intenção com um grande volume de dados extraídos – o famoso big data – pode representar vantagem competitiva para os negócios, desde que a tática seja bem executada.

Assim, já é possível aproveitar ao máximo os dados gerados por meio de uma análise de palavras e padrões de linguagem. Isso orienta decisões relacionadas aos chamados de clientes, por exemplo.

Imagine você que uma empresa receba uma demanda de 100 chamados por hora e tenha uma equipe reduzida. Investir na automação de análises semânticas poderia resultar em um ganho significativo de performance e produtividade.

Dessa maneira, a semântica deve ser compreendida como a arte de entender além do que pode ser visto. Pode ser usada para descobrir uma estrutura e/ou um significado a partir de um conjunto de dados.

A ideia por trás deste tipo de análise é usar a semântica para identificar intenções. Além de causas e efeitos ocultos dentro dos dados disponíveis.

Por isso, com o uso da semântica em um ambiente de big data, podemos efetivamente extrair valor desses dados, criando modelos de pesquisa sustentáveis, oferecendo uma base sólida para implantar técnicas de aprendizado ou qualquer coisa entre eles.

Análise de linguagem

Ranthelly Albuquerque, da Mandic Cloud Solutions / Divulgação

Parece complexo, mas a análise de linguagem representa apenas uma das muitas possibilidades que existem de explorar bancos de dados.

Essa mesma equipe que recebe 100 chamados por hora poderia dobrar o atendimento. Apenas com utilização de ferramentas atreladas às análises de palavras, suportadas pelo bom trabalho de engenharia de dados.

As possibilidades são muitas e para todas as áreas da companhia. Elas podem direcionar ações táticas que levem negócio a atingir de forma mais eficaz sua estratégia. Também no desdobramento em ações de desenvolvimento de produtos, marketing, venda, suporte ao cliente, entre outros.

E já que os dados são considerados o futuro da era digital, a análise semântica já se prova tão valiosa quanto no que diz respeito às implementações de estratégias pensadas a partir do cruzamento de informações.

*Ranthelly Albuquerque é Marketing Response Representative da Mandic Cloud Solutions

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Em Florianópolis, as empresas de tecnologia já são as maiores geradoras de ISS para os cofres públicos / Divulgação

‘Precisamos acordar e usar a inovação para vencer a crise’

A última edição do Índice de Inovação da Bloomberg, divulgado no começo deste ano, coloca o Brasil numa situação bastante desconfortável. Entre as 50 economias mais inovadoras do estudo, estamos na 46ª posição. Atrás de nós estão países como Chipre, Cazaquistão e Marrocos, que não são notadamente reconhecidos pela vocação tecnológica.[…]

Leia mais »
Bancos já se tornaram empresas de tecnologia que oferecem serviços financeiros / Jennifer Morrow/Creative Commons

Com o avanço das fintechs, bancos travam corrida pelo futuro

“Aqui temos de correr tão rápido quanto possível só para ficarmos parados. Se você quiser ir a qualquer lugar, deve correr duas vezes mais rápido que isso.” A frase dita pelo Coelho Branco no clássico Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, não poderia definir melhor a situação dos[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *