inova.jor

inova.jor

Porto Digital busca profissionais fora do Recife

O Porto Digital tem expectativa de dobrar num período de cinco anos / Divulgação
O Porto Digital tem expectativa de dobrar num período de cinco anos / Divulgação

Localizado no Recife, o Porto Digital é um exemplo de parque tecnológico de sucesso. Criado em 2000, abriga 316 empresas, que atingiram faturamento anual de R$ 1,8 bilhão.

“Enfrentamos hoje um desafio de mão de obra”, afirma Pierre Lucena, diretor presidente do Porto Digital, em entrevista ao inova.jor. “Temos como meta dobrar em cinco anos, chegando a 20 mil profissionais.”

Atualmente, a maior operação no parque é da Accenture, com cerca de 2,7 mil funcionários. Ao todo, 9,5 mil pessoas trabalham no polo tecnológico.

O Porto Digital faz um esforço para atrair talentos de outras cidades do Nordeste, ao mesmo tempo que busca reforçar a formação de profissionais de tecnologia nos níveis técnico e universitário na cidade.

As universidades do Recife formam atualmente cerca de 700 profissionais por ano. Uma das bases para a criação do Porto Digital foi Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Segundo Lucena, existem cerca de 900 vagas em aberto no Porto Digital atualmente.

“Criamos um Centro de Pessoas para buscar profissionais em outras cidades do Nordeste”, destaca. “Se não resolvermos esse gargalo, daqui a pouco vai faltar empreendedor também, porque não vai ter quem programe nas startups.”

Atualmente, o parque também tem uma operação no polo de Caruaru (PE).

Equidade de gênero

Entre as iniciativas para formar profissionais, estão cursos de graduação em parceria com empresas, em que os estudantes passem parte do semestre desenvolvendo soluções para o mercado.

O Porto Digital também faz um esforço para atrair mulheres para o mercado de tecnologia.

“Apesar de metade das vagas gerenciais das empresas do parque ser ocupada por mulheres, elas são somente 20% da força total de trabalho”, explica Lucena.

Uma das iniciativas para melhorar a solução é a instalação de uma creche no parque. “Metade das mulheres pede demissão depois da licença maternidade, e muitas delas não voltam ao mercado de tecnologia.”

No ano passado, o parque lançou uma iniciativa de equidade de gênero chamada Mulheres em Inovação, Negócios e Artes (Minas).

Revitalização urbana

Um dos motivos do sucesso e da longevidade do Porto Digital é que o parque não depende de recursos orçamentários para sobreviver.

Quando foi criado, recebeu imóveis no centro histórico do Recife, e boa parte da sua renda vem de aluguéis desses imóveis.

“Trabalhamos com o pressuposto de que não vai haver dinheiro público nenhum”, ressalta Lucena.

Além de caso bem-sucedido de parque tecnológico, a iniciativa é um exemplo de projeto de revitalização urbana.

O presidente do Conselho do Porto Digital é o professor Silvio Meira, professor aposentado da UFPE e um de seus fundadores.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

A automação industrial é tema de um dos cursos oferecidos pelo PECE-Poli / inova.jor

Programa de Educação Continuada da Poli-USP tem inscrições abertas

O mercado de trabalho, cada vez mais dinâmico, faz com que os profissionais tenham necessidade constante de atualização. E o início do ano traz oportunidade de voltar às aulas, seja para evoluir na carreira, seja para empreender. Criado em 1973, o Programa de Educação Continuada da Escola Politécnica da Universidade[…]

Leia mais »
Shell e Edital da Inovação vão selecionar até três projetos / Divulgação

Edital de Inovação e Shell têm R$ 2,5 milhões para projetos

A Shell do Brasil e o Edital de Inovação para a Indústria selecionam projetos inovadores do setor de óleo e gás.  Startups, micro e pequenas empresas e microempreendedores individuais podem se inscrever até 30 de abril. São R$ 2,5 milhões para serem investidos em projetos de monitoramento, controle e análise de[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *