inova.jor

inova.jor

Celular supera internet banking em transferência e pagamento

Banking: Gustavo Fosse apresentou dados sobre hábitos dos clientes dos bancos / Renato Cruz/inova.jor
Gustavo Fosse apresentou dados sobre hábitos dos clientes dos bancos / Renato Cruz/inova.jor

O celular consolidou-se como meio preferido de os consumidores acessarem serviços financeiros.

Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), o número de transações com movimentação financeira feitas pelo celular cresceu 80% no ano passado.

Foram feitos 2,5 bilhões de pagamentos e transferências (incluindo DOC e TED) pelo mobile banking em 2018.

No mesmo período, as transações desse tipo feitas pelo internet banking somaram pouco mais de 2 bilhões.

“Atualmente, o internet banking concentra muito o uso de pessoas jurídicas”, afirmou Gustavo Fosse, diretor de Tecnologia e Automação Bancária da Febraban. “Já as pessoas físicas preferem o smartphone.”

Queda no internet banking

Pela primeira vez na história da Pesquisa de Tecnologia Bancária da Febraban, houve queda no número de contas com uso de internet banking, que passaram de 57 milhões em 2017 para 53 milhões.

“Em 2017, os bancos fizeram um grande esforço para atrair pessoas jurídicas”, explica Fosse.

Foram computadas contas que usaram o internet banking pelo menos uma vez nos seis meses que antecederam a pesquisa.

Por outro lado, as contas com uso de mobile banking subiram de 57 milhões em 2017 para 70 milhões.

O total de contas correntes existentes no Brasil ficou estável em 155 milhões no ano passado.

Investimento em tecnologia

Em 2018, os bancos gastaram R$ 19,6 bilhões com tecnologia, o que representou crescimento de 3% sobre o ano anterior.

Os gastos com software foram os mais significativos, chegando a R$ 10,1 bilhões.

Em relação a novas tecnologias:

  • 80% dos bancos investem em big data e análise de dados;
  • 73% investem em inteligência artificial;
  • 67% investem em blockchain; e
  • 60% investem em open banking e marketplaces.

Feita em parceria com a Deloitte, a pesquisa ouviu 20 bancos, que representam 91% dos ativos do setor no país.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Até 2020, o mercado de casas inteligentes deve gerar € 122,7 bilhões / Divulgação

Quando os eletrodomésticos se conectam à internet

Controlar aparelhos domésticos à distância é uma funcionalidade cada vez mais próxima da vida das famílias. A expectativa é que o mercado de casas inteligentes (smart home) tenha uma forte expansão nos próximos anos. E o Brasil não deve ficar de fora. O estudo How to create growth from the connected home, da Deutsche[…]

Leia mais »
Prius é o modelo mais básico entre os carros híbridos da Toyota no Brasil / Divulgação

Toyota vende 10 milhões de carros híbridos no mundo

A Toyota anunciou que até o fim de janeiro vendeu 10 milhões de veículos híbridos em todo mundo. A meta foi atingida 20 anos depois do lançamento do primeiro modelo Prius, em 1997. Atualmente a montadora comercializa 33 tipos de veículos híbridos em 90 países. No Brasil, há um modelo[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *