inova.jor

inova.jor

Huawei quer levar inteligência artificial às empresas

A Huawei oferece uma ampla gama de soluções de tecnologia de informação e comunicação a empresas, e vem incorporando inteligência artificial a todo seu portfólio.

“A tecnologia já está disponível no mercado brasileiro”, afirma Rômulo Horta, diretor de marketing Enterprise da Huawei.

No ano passado, a fabricante chinesa realizou um evento em Xangai, chamado Smart Connect, que teve como tema “Ativando a inteligência”.

“Nosso portfólio está preparado para trabalhar com a inteligência artificial tanto para melhorar a eficiência das aplicações e dos equipamentos quanto para aplicá-la aos negócios das empresas”, destaca Horta.

No Brasil, a Huawei está pronta para desenvolver provas de conceito para mostrar a experiência da inteligência artificial aplicada, segundo o executivo.

Oportunidades

A Huawei aposta no mercado corporativo. “Vemos uma demanda crescente por estrutura mais moderna na área de tecnologia da informação e comunicação”, diz Horta. “Nosso portfólio é extremamente amplo, e vemos uma oportunidade fantástica nesse mercado.”

O portfólio da Huawei Enterprise inclui soluções de comunicação corporativa, infraestrutura de redes e a linha tradicional de tecnologia de informação, como servidores e armazenamento.

Atualmente, a empresa está estruturada no Brasil para atuar em cinco verticais:

  • finanças,
  • governo,
  • energia e transportes,
  • provedores de acesso regionais (ISPs), e
  • grandes empresas.

“Estudamos a fundo as verticais, entendemos o modelo de atendimento e trazemos soluções às vezes específicas para uma vertical,”, explica.

Entre as soluções da Huawei, Horta destaca o sistema de video cloud, que possibilita monitoramento inteligente em soluções para governos.

Em transporte, a empresa fornece uma solução de wi-fi específica para rodovias, que consegue manter os carros conectados mesmo em alta velocidade.

A área de grandes empresas reúne varejo e manufatura. “Muitas delas são empresas brasileiras de grande porte, que têm grandes necessidades de infraestrutura de tecnologia”, afirma o executivo.

Para saber mais sobre tecnologia para o mercado corporativo brasileiro, assista à entrevista em vídeo de Rômulo Horta à Conexão Huawei.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O atendente virtual Poupinha faz agendamentos para os postos do Poupatempo / Divulgação

Quando os robôs chegam ao serviço público

O Poupinha é um atendente que, entre 28 de dezembro e 16 de julho, concluiu 823 mil agendamentos do Poupatempo, rede de postos de serviço do governo de São Paulo. Ele é um chatbot, robô de bate-papo que atende no site do Poupatempo e no Messenger, do Facebook. No mesmo[…]

Leia mais »
O Centro de Operações Tigre, na Argentina, monitora quase mil câmeras, 24 horas por dia / Divulgação

Como a inteligência artificial torna as cidades mais seguras

Com a proliferação de câmeras em lugares públicos, surge a necessidade de tecnologias baseadas em inteligência artificial que gerem alarmes automatizados para a detecção de pessoas suspeitas e comportamentos incomuns. Ao lado do reconhecimento facial, tecnologias como aprendizado de máquina e detecção de comportamento tornam as cidades mais seguras. “As[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *