inova.jor

inova.jor

Qual é a estratégia da Accesstage para investir em startups

Celso Sato, da Accesstage, fala sobre investimento em startups / Renato Cruz/inova.jor
Celso Sato, da Accesstage, fala sobre investimento em startups / Renato Cruz/inova.jor

A Accesstage, que fornece soluções de conectividade financeira, anunciou investimento de R$ 2 milhões na Kaspper Innovation, uma fábrica de software.

Anteriormente, a companhia já havia investido R$ 50 milhões em seis startups: Trustion, Movats, Negocie Online, Moneto, IN10 e Cyberblock.

“Não dava para desenvolver internamente todas essas tecnologias”, afirmou Celso Sato, presidente da Accesstage. “As startups complementam nosso portfólio.”

As startups investidas atuam em áreas como blockchain, conciliação de recebíveis, atendimento digital, automação de cobrança e análise de dados.

Em seus investimentos, a Accesstage busca companhias que já tenham produto desenvolvido, com clientes em carteira.

“Buscamos sinergia de marketing e vendas”, explicou o executivo. “Somos uma plataforma com 120 mil empresas conectadas.”

Além do investimento, a companhia oferece tração às startups, ao mesmo tempo em que garante qualidade de entrega aos clientes que se relacionam com elas.

Estratégia de crescimento

O investimento em startups também faz parte da estratégia de crescimento da Accesstage.

No ano passado, a companhia faturou R$ 75 milhões, sendo que R$ 15 milhões desse total vieram das quatro startups em que tem participação majoritária: Movats, Negocie Online, IN10 e Cyberblock.

Para este ano, a expectativa é atingir faturamento de R$ 100 milhões, com R$ 25 milhões vindo das startups controladas.

De 2001, ano de sua criação, até 2013, a Accesstage foi subsidiária da japonesa Mitsubishi, atuando no mercado de troca eletrônica de dados (EDI, na sigla em inglês).

Desde então, ampliou sua atuação com soluções de conectividade financeira, para áreas como tesouraria, contas a pagar e a receber.

Expansão

A Kaspper Innovation foi o primeiro investimento em startup da Accesstage neste ano.

Criada em 2017, a expectativa é que a empresa alcance faturamento anual de R$ 3 milhões.

Após o investimento, a Kaspper transferiu sua operação para Jundiaí (SP), e planeja aumentar seu quadro de colaboradores de 20 para 70 profissionais.

Publicações relacionadas

Dirigentes da Saint-Gobain planejam visitar semanalmente as startups do Cubo / Divulgação

Saint-Gobain procura startups no Cubo

Criado no ano passado, o Cubo Coworking Itaú tornou-se um espaço de referência para startups digitais, principalmente para as chamadas fintechs, que oferecem serviços financeiros. Recentemente, a Saint-Gobain fechou uma parceria com o Cubo. O que uma empresa de materiais de construção e industriais busca nesse ambiente? “É um projeto muito importante para[…]

Leia mais »
Free Electrons terá, pela primeira vez, etapa em São Paulo / Oak Ridge National Laboratory

Free Electrons, BoostLab e outras oportunidades para startups

O Free Electrons, programa global de aceleração de startups de energia, está com inscrições abertas até 31 de janeiro, no site da iniciativa. Em sua quarta edição, o programa quer apresentar scaleups promissoras a 10 grandes empresas de energia, incluindo a EDP. O programa é dividido em três módulos: o[…]

Leia mais »