inova.jor

inova.jor

Quais são os desafios de segurança digital no Brasil em 2019

Quais os desafios de segurança digital no Brasil em 2019
Segurança é desafio para o Brasil em 2019 / Tristan Bowersox

Internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) comprometida, ataques multicamada e ataques distribuídos de negação de serviço (DDoS, na sigla em inglês) concentrados em infraestrutura e serviços para o cliente.

Esses foram alguns dos diagnósticos realizados sobre a segurança digital no Brasil pela Nestcout, no 14º Relatório Anual sobre Segurança da Infraestrutura Global.

Esta é a primeira edição do estudo com informações específicas sobre alguns países, e o Brasil surpreendeu em alguns aspectos.

Primeiramente, pelo fato de ser o campeão de dispositivos de internet das coisas comprometidos. São 25% dos aparelhos, tendo uma média global de apenas 17%.

Enquanto isso, na França, apenas 11% dos equipamentos de IoT estão comprometidos.

Depois, também, chama a atenção a sofisticação das ameaças. No Brasil, 49% dos ataques são em multicamada. São ataques que “proliferam, pois são difíceis de defender e geralmente são extremamente eficazes”, explica o estudo.

Concentração

Além disso, o relatório também apontou os destinos do ataque. O Brasil ficou à frente nas categorias de infraestrutura (57%) e serviços/aplicativos voltados para o cliente (46%).

Em ambos os casos, a França ficou na colocação mais baixa com 44% e 31%, respectivamente.

O único tipo de ataque em que o Brasil não liderou nos número foi em software como serviço (SaaS na sigla em inglês). Ali, a França ficou com 53%.

Defesa e segurança digital

Assim, apesar dos números aparentemente ruins, o Brasil chama a atenção por um motivo: o firewall.

Segundo o estudo, 76% dos brasileiros entrevistados disseram que o firewall contribuíram para a interrupção de ataque DDoS.

Este número é muito maior do que a média global, de 54% dos entrevistados.

Além disso, há no Brasil um número menor (26%) de ataques ransomware se comparado com a média global de 32%.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Cláudio Ferrari, da Sboc, participou de evento sobre gestão da informação aplicada à saúde / Renato Cruz/inova.jor

Análise de dados pode ajudar a salvar vidas

A saúde brasileira ainda precisa passar por uma revolução de informação. Segundo estudo da McKinsey, a adoção de tecnologias de análise de dados e big data poderia trazer um ganho de eficiência de 35% ao setor. Cláudio Ferrari, secretário de Comunicação Social da Sociedade brasileira de Oncologia Clínica (Sboc) participou[…]

Leia mais »
Dia da internet segura / Renato Cruz/inova.jor

Como combater o discurso de ódio na internet

Desde 2006, a SaferNet Brasil recebeu mais de 2 milhões de denúncias de crimes de ódio. A ONG promoveu hoje (6/2), em parceria com o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), a 10ª edição brasileira do Dia Mundial da Internet Segura. O tema da campanha deste ano é “Crie,[…]

Leia mais »

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *