inova.jor

inova.jor

China e Índia devem se tornar líderes em inovação até 2035

China e Índia serão centros de inovação até 2035
China deverá ultrapassar EUA até 2035 / Tomas Roggero

Daqui a apenas 16 anos, a inovação deverá mudar de endereço. Essa é a percepção do próprio mercado, que acredita que China e Índia ultrapassarão os Estados Unidos na referência de tecnologia.

A tendência foi divulgada na pesquisa do Fórum da Nova Economia Bloomberg. Ela reuniu percepções de 2 mil profissionais de negócios de 20 mercados sobre o futuro das novas economias. 

Primeiramente, 54% dos entrevistados concordam que, até 2035, China e Índia terão ultrapassado os EUA como centros de inovação. E 49% dos entrevistados de mercados desenvolvidos concordam – incluindo EUA.

Ademais, 39% dos entrevistados globais acreditam que Pequim será a maior cidade tecnológica do mundo até 2035

“Os profissionais das novas economias são claros sobre a mudança no centro da gravidade econômica global”, disse Tom Orlik, economista-chefe da Bloomberg.

“À medida que avançam para oportunidades de novos mercados e tecnologias, o fluxo de talentos e capital acelerará a ascensão das novas economias”.

Além da China

Assim como mediu os centros de inovação, a pesquisa buscou compreender tendências de mercado.

Inicialmente, em todo o mundo, existe um consenso de que dinheiro físico está de saída. Cinquenta e dois por cento dos entrevistados concordam que o G-10 não usará mais dinheiro como meio de troca em 2035.

Além disso, uma outra transformação: entrevistados na Ásia acreditam que os carros autônomos serão mais comuns do que os de propriedade individual em 2035. Entrevistados na China chegam a uma concordância de 70%.

Por fim, numa escala mais assustadora, existe um forte consenso global de que, se houver outra guerra mundial, é provável que seja cibernética.  Globalmente, 68% dos entrevistados concordam com essa previsão.

Publicações relacionadas

Internet: Interfaces de voz, como o Echo, da Amazon, é uma das principais tendências / Rob Albright/Creative Commons

Quando as máquinas aprendem a conversar de verdade

Máquinas que entendem comandos de voz já viraram lugar comum, mas os sistemas de inteligência artificial ainda não são capazes de participar de uma conversa de verdade, como o C-3PO, de Star Wars (ou o HAL 9000, de 2001, para dar um exemplo não tão benigno). A Amazon quer mudar isso, e[…]

Leia mais »
Carlos Ghosn, da Nissan, falou sobre carros autônomos e carros elétricos durante a CES / Renato Cruz/inova.jor

CES 2017: Nissan mostra que carro não será tão autônomo

LAS VEGAS O brasileiro Carlos Ghosn, presidente mundial da Nissan, apresentou ontem (6/1) seu plano para acabar com as vítimas nos acidentes de carros e com a emissão de poluentes. Os carros autônomos e os carros elétricos são, atualmente, as duas tendências mais quentes do mercado automobilístico. A Nissan é[…]

Leia mais »