inova.jor

inova.jor

Huawei: Chegou o momento da energia solar

A energia solar tem se tornado cada vez mais competitiva, quando comparada a outras fontes de geração de eletricidade.

E o ambiente favorável aos sistemas fotovoltaicos pode beneficiar de forma significativa a economia do Brasil.

“O preço da energia e dos componentes fotovoltaicos caiu o bastante para viabilizar o retorno de investimento em três ou quatro anos”, explica Bruno Guerra, gerente de vendas da Huawei Brasil. “O mercado fotovoltaico é acessível’.

Atualmente, a energia fotovoltaica representa 1,5% da matriz brasileira e a Huawei já forneceu 845 megawatts no país.

A aceleração do investimento no setor poderia trazer benefícios imediatos, segundo Guerra.

“Primeiramente, é uma fonte de energia renovável e inesgotável. E isso, combinado com o armazenamento, que pode ser acoplado ao sistema fotovoltaico, traz benefícios aos consumidores”, afirma o executivo.

“É um tipo de sistema que pode reduzir a carga da geração de energia no momento de pico.”

Energia solar na China

A China tem casos que podem servir de inspiração para o Brasil no caminho da energia fotovoltaica.

“Já temos soluções de inteligência artificial incorporadas aos sistemas fotovoltaicos da Huawei”, contextualiza Bruno Guerra.

Além disso, a tecnologia da Huawei, que hoje tem 50% do mercado de energia solar na China, pode ajudar o Brasil a trilhar esse caminho.

“Possuímos um hardware mais eficiente e compacto. As estruturas das funções de software também trazem mais informações ao cliente”, diz.

Por fim, o futuro é promissor. “O mercado tem dobrado de tamanho, ano a ano. Temos essa expectativa de crescer junto com o mercado”, finaliza Guerra.

A Huawei participou do evento Intersolar South America, realizado de 27 a 29 de agosto em São Paulo.

Para saber mais sobre energia fotovoltaica, acompanhe a entrevista em vídeo de Bruno Guerra à Conexão Huawei.

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

O que levaria você a trocar de computador?

A maioria dos usuários brasileiros não compra computadores há, pelo menos, quatro anos. Segundo pesquisa da Intel, 30 milhões de computadores usados hoje no País foram comprados entre 2009 e 2012. David Gonzales, presidente da Intel no Brasil, afirmou que a demora pela troca dos aparelhos pode prejudicar o próprio usuário.[…]

Leia mais »
Projeto da Celesc com a Fundação Certi instalou dois eletropostos em Florianópolis / Bruno Berretta/Divulgação

Florianópolis ganha dois postos para abastecer veículos elétricos

  Florianópolis ganhou neste mês dois postos para abastecer veículos elétricos. Um dos eletropostos foi instalado no campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e outro no bairro Itacorubi. Santa Catarina conta ainda com um eletroposto em Araquari, no norte do Estado. Os postos fazem parte de um programa[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *