inova.jor

inova.jor

Podcast: Como fomentar o ecossistema de inovação

Como fomentar o ecossistema de inovação
Gilson Jeronimo e Zaima Milazzo foram os convidados do podcast / inova.jor

O mercado corporativo está cada vez mais em busca de soluções criativas para problemas cotidianos. Mas como desenvolver o ecossistema de inovação para que elas surjam e se adaptem aos modelos de negócios?

Esse é o tema do primeiro episódio do inova.jor cast, que trará semanalmente discussões sobre inovação, negócios e tecnologia.

O podcast está disponível no Spotify e no Deezer. Em breve, estará também em outras plataformas de streaming.

Primeiramente, centros de inovação precisam manter o mercado próximo. “A empresa não quer que a gente simplesmente coloque tecnologia. Ela quer a gente resolva problemas para ganhar eficiência ou receita”, disse Gilson Jeronimo, gerente de contas da HPE Aruba e convidado do podcast.

“A empresa tem que ser sua parceira. É preciso de abordagem amigável para identificar o problema”.

Assim, a partir disso, é possível traçar estratégias e compreender as reais necessidades do mercado.

“Muitas vezes, a empresa acredita que tem um problema insolúvel. Mas ao vermos toda a cadeia de negócio, junto dela, percebemos que dá pra resolver”, afirma Zaima Milazzo, presidente do Brain, centro de inovação da Algar Telecom.

Solução criativa

Milazzo ainda ressalta que o Brain já lançou sete diferentes soluções no portfólio da Algar Telecom. Em todas elas, exigiu-se uma proximidade do problema e das necessidades de mercado.

Há dois anos, por exemplo, a empresa desenvolveu um sistema de wi-fi mais seguro para locais como restaurantes, shoppings e academias.

A ideia era promover segurança com soluções baseadas no Marco Civil da Internet. E, ainda, promover uma manutenção mais simplificada da rede.

No entanto, quando levou o produto ao mercado, encontrou resistência.

“As empresas não tinham interesse algum nessa solução. Não sabiam o que era o Marco Civil da Internet”, conta a presidente do centro da inovação. “Ela queria vender mais. Queria as pessoas no seu estabelecimento”.

Assim, o Brain se aproximou mais do mercado, e de suas reais necessidades de mercado, transformando a tecnologia. “Acrescentamos uma camada de serviços ao wi-fi para se relacionar com o cliente de forma mais fácil”, diz.

“Ele dá boas-vindas, apresenta programa de fidelidade. Se o cliente permite, o serviço vai além e começa a ter um relacionamento ainda mais assertivo”.

Ecossistema de inovação

Gilson Jeronimo, da HPE Aruba, destaca que a empresa em busca inovação também precisa prestar atenção na sua jornada. Assim, pode compreender melhor o caminho da inovação.

“Hoje, todo mundo fala em inovação. É a moda do mercado. Querem mudar a empresa, da noite para o dia, pro digital. Mas não precisa ser assim necessariamente”, afirma o executivo.

“Você precisa ir preparando sua empresa. Afinal, ou você resolve problema de eficiência operacional ou agrega valor ao negócio”.

Publicações relacionadas

Noventa e seis por cento dos brasileiros conectados usam o celular / Edilson Rodrigues/Agência Senado

Metade dos brasileiros conectados só usa o celular

Metade da população conectada no Brasil acessa a internet exclusivamente pelo celular, segundo a pesquisa TIC Domicílios 2017, divulgada hoje (24/7) pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br). Esse percentual corresponde a 58,7 milhões de pessoas. Pela primeira vez, os usuários que acessam a rede somente pelo celular (49%)[…]

Leia mais »
Carlos Ghosn, da Nissan, falou sobre carros autônomos e carros elétricos durante a CES / Renato Cruz/inova.jor

CES 2017: Nissan mostra que carro não será tão autônomo

LAS VEGAS O brasileiro Carlos Ghosn, presidente mundial da Nissan, apresentou ontem (6/1) seu plano para acabar com as vítimas nos acidentes de carros e com a emissão de poluentes. Os carros autônomos e os carros elétricos são, atualmente, as duas tendências mais quentes do mercado automobilístico. A Nissan é[…]

Leia mais »