inova.jor

inova.jor

Podcast: Qual é o impacto da edge computing nos negócios

Renato Cruz,  Luiz Riscado e Luciano Santos conversam sobre edge computing /
Renato Cruz, Luiz Riscado e Luciano Santos conversam sobre edge computing / Inova.jor

O que é a computação de borda (edge computing)? E como ela pode melhorar a experiência do consumidor de serviços digitais e facilitar novas aplicações, como o carro autônomo?

Essas foram algumas das questões respondidas no quinto episódio do inova.jor cast, que traz semanalmente novidades sobre inovação, negócios e tecnologia.

O podcast está disponível no Spotify, no Deezer, no iTunes e no SoundCloud

“Conforme a tecnologia evolui, você precisa ter processamento mais rápido. Não dá pra esperar a nuvem”, contextualiza Luciano Santos, vice-presidente de Secure Power da Schneider Electric Brasil.

“Aí surgiu a edge computing. Você descentraliza o processamento e abre espaço para trabalhar com um tempo de resposta mais rápido, perto de onde os dados são gerados”.

Assim, dentre as aplicações mais interessantes para essa tendência de processamento, estão os carros inteligentes, streaming e até cirurgias robotizadas.

“A edge viabiliza uma transformação de processos de aplicação que é inimaginável”, Luiz Riscado, diretor de Contas Estratégicas do SAS Brasil.

Complementos da edge computing

Para uma melhor experiência com a edge computing, porém, algumas tecnologias auxiliam no processo. Primeiramente, a quinta geração das comunicações móveis (5G).

“O 5G é a via de interconexão entre hubs, quando você descentraliza os processamentos”, afirma Luciano Santos, da Schneider Electric.

Além disso, também há uma questão incremental de segurança.

“A conexão por 5G permite uma transição entre redes. Então, caso haja instabilidade, a informação continua fluindo”.

Assim, também vale ressaltar a importância que a inteligência artificial pode ter nesse tipo de processamento.

“Teremos a capacidade de filtrar os dados obtidos na edge computing de forma inteligente”, disse Luiz Riscado, do SAS Brasil.

“Por isso, se não houver um processo inteligente de filtragem, o potencial de benefícios da tecnologia será muito reduzido”.

Publicações relacionadas

Amazon é a empresa mais inovadora do ano

‘Fast Company’ escolhe as três empresas mais inovadoras do Brasil

A Fast Company divulgou ontem (13/2) seu ranking anual das empresas mais inovadoras do mundo. A Amazon ficou em primeiro lugar. A revista destacou alguns exemplos da estratégia da Amazon: a Amazon Web Services é uma divisão de bilhões de dólares de faturamento, que oferece serviços de nuvem para milhões de[…]

Leia mais »
O Banco inter lançou recentemente o serviço de banco digital para pequenas e médias empresas / Renato Cruz/inova.jor

Banco Inter quer ser o primeiro banco brasileiro 100% na nuvem

O Banco Inter quer se tornar o primeiro banco brasileiro 100% na nuvem. Controlado pela família Menin, dona da incorporadora MRV, oferece contas digitais sem a cobrança de tarifa desde 2015. “Como banco de varejo, já nascemos digitais”, afirma João Vitor Menin, presidente do Banco Inter. “Nunca chegamos a ter[…]

Leia mais »