inova.jor

inova.jor

Terceirização da TI acelera a transformação digital

Terceirização garante acesso a especialistas em novas tecnologias / Pixabay
Terceirização garante acesso a especialistas em novas tecnologias / Pixabay

Há alguns anos o mercado está discutindo a transformação digital – como fazer, por qual área começar e o que digitalizar.

Um dos grandes temas dessa mudança é a necessidade de transformar não só a área de tecnologia da informação (TI), mas também os processos corporativos e a gestão de pessoas, de forma a melhorar a experiência do usuário -interno ou externo -, desenvolver novas ofertas, entre outros benefícios.

Só assim, será possível impactar positivamente os negócios, garantindo a competitividade da organização.

Porém, um dos grandes passos para acelerar essa transformação pouco discutido pelas organizações, é a terceirização da TI.

Contar com um parceiro que gerencie sua infraestrutura – seja ela de nuvem, redes, segurança, ou outras tecnologias – de forma a garantir o funcionamento da operação 24×7 oferece benefícios muitas vezes não mensurados pelas empresas, como a gestão de pessoas.  

Com a rápida evolução tecnológica, as organizações estão investindo cada vez mais em tecnologias disruptivas, como inteligência artificial e internet das coisas.

Imagine contratar um especialista – ou uma equipe inteira – focado em cada umas dessas soluções. Além da questão financeira, há necessidade de motivar e reter esses talentos que, muitas vezes, se sentem desmotivados por falta de desafios.

Visão de negócio

Paulo Torres, da Logicalis / Divulgação
Paulo Torres, da Logicalis / Divulgação

Quando a empresa opta por terceirizar uma parte da área de TI, consegue investir em pessoas com uma visão mais voltada ao negócio, que atuem diariamente visando a adoção de novas tecnologias de forma a viabilizar o desenvolvimento de projetos que possam contribuir com a inovação.

Enquanto isso, as empresas de outsourcing de TI investem na contratação e formação de profissionais especializados em cada uma das tecnologias existentes, contando com mais capacidade técnica para oferecer aos clientes e de gestão para incentivar e desenvolver talentos. 

E, esse é apenas um dos motivos para a terceirização. Ela também garante escala e agilidade, uma vez que as empresas de outsourcing já possuem modelos programados e conhecem as melhores práticas do mercado.

Como a demanda por agilidade é maior na área de negócios, muitas vezes, esses departamentos acabam terceirizando a TI para conseguir atender ao time to market do lançamento de um produto ou campanha, por exemplo, pois a área de TI interna não consegue atendê-los com a velocidade necessária.

Avanço das startups

Outro ponto para se levar em consideração na decisão, é o aumento no número de startups que estão surgindo e ganhando mercado.

Elas já nascem na nuvem, com conceitos de DevOps intrínsecos e tecnologias como serviço.

Diante desse cenário, o investimento em tecnologias e melhorias de processos que apoiem a transformação digital de forma a garantir a competitividade de empresas tradicionais é ainda mais importante. 

A nuvem, inclusive, já faz parte da vida de inúmeras corporações e a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), prevista para entrar em vigor em agosto deste ano, está impulsionando ainda mais a adoção dessa tecnologia.

O prazo para estar em compliance com a legislação é curto e contar com um parceiro especializado em nuvem simplifica o processo de migração e gestão, evitando a necessidade de contratar e treinar equipe – o que demandaria ainda mais tempo.

Portanto, não faz mais sentido para o mercado corporativo em geral manter toda a TI dentro de casa.

O ideal é contar com profissionais estratégicos e voltados à inovação, e terceirizar todo o suporte e manutenção da infraestrutura – existente e futura.

Afinal, esse modelo garante mais segurança, escalabilidade, agilidade e capacidade técnica para lidar com as necessidades tecnológicas do dia a dia, suportando toda a operação – ou parte dela.

Enquanto isso, os profissionais de TI da companhia se dedicam à adoção de soluções inovadoras de forma a digitalizar processos, melhorar a experiência do usuário e, consequentemente, garantir a competitividade da organização diante do cenário cada vez mais desafiador que estamos vivendo.

  • Paulo Torres é diretor de serviços da Logicalis na América Latina

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Meios de pagamento acompanham digitalização / Unsplash

Tecnologia democratiza serviços de pagamento

Qual foi a última vez que você fez uma compra com dinheiro em espécie? Fora situações bem pontuais, certamente os cartões e gadgets conectados são sua principal forma de pagamento. Isso significa, então, que as notas e moedas estão em extinção, certo? Não é bem assim: quase 50 milhões de[…]

Leia mais »
Infraestrutura: Discussão sobre franquia de dados da banda larga tem se limitado ao acesso / mohsend72/Creative Commons

‘Controle de franquia de banda larga representa retrocesso’

Os provedores regionais, que levam a conectividade e a inclusão digital para pequenas cidades e regiões onde as grandes operadoras têm pouco ou nenhum interesse em trabalhar, correm o risco de gerar restrições aos seus usuários no acesso à internet e ao mesmo tempo encarecer os serviços. Isso porque a[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *