inova.jor

inova.jor

Como a covid-19 muda o mercado de conteúdo digital

O acesso a conteúdo aumentou desde o início da pandemia de covid-19 / Unsplach
O acesso a conteúdo aumentou desde o início da pandemia de covid-19 / Unsplash

Com restrições de viagem, distanciamento social e confinamento em vigor ao redor do mundo, estamos encontrando maneiras diferentes de nos adaptar e de lidar com a situação.

Num esforço para entreter a nós mesmos e a nossos filhos dentro de casa, passamos mais tempo em frente a telas.

Consumimos mais serviços de streaming de vídeo e de TV, como Netflix, Amazon Prime ou Globoplay, jogamos mais videogames ou, simplesmente, recorremos mais a aplicativos de videoconferência para manter contato com amigos, familiares e colegas de trabalho.

Novas estatísticas

Juan D'Antiochia, da FIS / Divulgação
Juan D’Antiochia, da FIS / Divulgação

Marcas desses segmentos estão registrando maior volume de pagamentos, indicando que mais e mais consumidores estão assinando novos serviços para se entreter.

De acordo com uma pesquisa sobre os impactos da covid-19, realizada pela McKinsey, 48% dos consumidores brasileiros esperam aumentar seu consumo de conteúdo de vídeo e 25% afirmaram ter expectativa de gastar mais em entretenimento em casa durante a pandemia.

Somente a Netflix conseguiu 16 milhões de novos assinantes no primeiro trimestre de 2020 devido à pandemia.

O Microsoft Teams chegou, em 31 de março, à marca de 2,7 bilhões de minutos de reuniões, um aumento de 200% quando comparado com 16 de março.

Enquanto isso, o Zoom conquistou 14 milhões de novos usuários em todo o mundo em um mês.

A busca por jogos online também está em alta.

Tanto que empresas do setor iniciaram uma campanha global chamada #PlayApartTogether para promover partidas online com múltiplos jogadores, incentivando o distanciamento social, a saúde mental e a conexão entre pessoas.

O uso de redes sociais e de aplicativos também está aumentando, já que as pessoas estão tentando, cada vez mais, entrar em contato com amigos e familiares.

As lives já são constantes e estão quebrando recordes de audiência semana após semana.

Em março, o Instagram registrou aumento de 70% no número de transmissões ao vivo.

Conteúdo de educação

Após a suspensão de aulas de escolas e universidades, a educação online também está passando por um forte crescimento para garantir que o conteúdo chegue aos alunos.

Além de quem já estava matriculado, essas instituições estão oferecendo cursos para quem escolheu aprender algo novo como uma maneira de passar o tempo durante a quarentena. 

Grande parte do crescimento do qual estamos falando está acontecendo na área de assinaturas, um modelo de negócios que oferece personalização, bom custo benefício e conveniência.

Esse último fator pode estar levando consumidores a assinarem serviços que não considerariam anteriormente, como boxes de receitas e de ração para pets, streaming de vídeo e assinaturas de games.

Além de gerenciar o aumento da demanda que está acontecendo durante o isolamento, essas marcas precisam se preocupar em manter esses novos clientes quando a vida voltar ao normal após a pandemia.  

Mudança digital

Para aumentar a lealdade, as marcas devem aprimorar a experiência dos assinantes, garantindo uma jornada de pagamento sem atritos, minimizando o risco de transações recusadas e, consequentemente, de falha na renovação das assinaturas.

Isso é possível ao se assegurar que elas tenham, em seus bancos de dados, as informações de pagamento mais corretas e atualizadas possíveis dos consumidores.

Vão ser bem sucedidas empresas que conseguirem se conectar emocionalmente com seus clientes, oferecendo percepção de valor do serviço ou produto entregue e uma oferta maximizada de métodos de pagamentos aceitos, disponibilizando todas as opções que o consumidor possa querer usar.  

Estamos vendo uma adoção digital acelerada em muitos setores, mas apenas o tempo nos dirá se essa mudança no comportamento do consumidor é temporária ou não.

De qualquer maneira, muitas marcas terão que se movimentar mais rápido do que o planejado originalmente para permanecerem relevantes.  

Sabemos que este é um momento desafiador e todos, indivíduos e negócios, estão trabalhando duro para encontrar seus caminhos em meio a essa pandemia, garantindo que nos tornemos mais fortes no final. 

  • Juan D’Antiochia é gerente geral de Global Enterprise eCommerce e Merchant Solutions da FIS para América Latina

Comentários

comentários

Publicações relacionadas

Primeiro webinar Eficiência e Segurança em Nuvem

Como se preparar para ter sucesso na nuvem

Planejamento, custos e escolha de parceiros foram alguns dos temas dissecados por seis executivos de grandes empresas que participaram da primeira edição da mesa-redonda virtual Segurança e Eficiência na Nuvem, realizada em 3 de junho pelo inova.jor, com apoio da Unisys e da Microsoft. Como ponto de partida, Bianca Hartblen[…]

Leia mais »
Mandy - Panos Cosmatos / Reprodução

Quais foram os melhores filmes de 2018

Diferentemente de 2017, foi difícil escolher os 10 melhores filmes do ano. Alguns dos longas-metragens foram lançados antes fora do Brasil, mas chegaram por aqui somente em 2018. Para quem gosta de terror e suspense foi um ano especialmente bom. Segue a lista abaixo. 10. Noite de lobos – Jeremy[…]

Leia mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *