inova.jor

inova.jor

Telemedicina amplia atendimento na saúde

Lottenberg (e.) e Cerri (c.) falam sobre telemedicina / inova.jor
Lottenberg (e.) e Cerri (c.) falam sobre telemedicina / inova.jor

A experiência durante a pandemia do novo coronavírus mostra que a telemedicina reduz custos e amplia o atendimento na saúde.

Claudio Lottenberg, presidente do conselho do Hospital Albert Einstein e do Instituto Coalizão Saúde, e Giovanni Cerri, presidente do conselho diretor do Instituto de Radiologia e da Comissão de Inovação do Hospital das Clínicas da faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, conversam sobre o tema com o jornalista Renato Cruz, no inova.jor cast.

O podcast é publicado semanalmente no Spotify,  DeezeriTunes e SoundCloud.

O futuro da telesaúde

Diante dos bons resultados, as experiências com a telemedicina devem se perpetuar após a pandemia.

“Virá um grau de exigência por parte da sociedade consumidora, que vai cobrar agora, com muito mais razão e muito mais consistência, celeridade de nossa parte”, destacou Lottenberg, do Hospital Albert Einstein.

Os dois especialistas destacam a necessidade de preparar os profissionais para que saibam trabalhar com tecnologia aplicada à medicina.

“Utilizar o nosso capital intelectual para poder inovar, poder achar soluções, expandir a telemedicina e expandir recursos tecnológicos sem impactar em aumento do custo é a solução para nós vencermos essa crise”, afirmou Cerri, do Hospital das Clínicas.

Publicações relacionadas

Primeiro uso comercial do Multi, elevador sem cabos da Thyssenkrupp, será em Berlim / Divulgação

Elevador da ThyssenKrupp também vai para os lados

A Thyssenkrupp inaugurou, na semana passada, um sistema de elevador sem cabos, que também se move para os lados. Chamado de Multi, foi instalado numa torre de 246 metros em Rottweil, no centro de pesquisa e desenvolvimento da empresa na Alemanha. No lugar de uma única cabina, que se move[…]

Leia mais »
A varejista de brinquedos Toys 'R' Us pediu falência nos Estados Unidos e Canadá / Mike Kalasnik/Creative Commons

O que fazer para não se tornar a próxima Toys ‘R’ Us

A Toys ‘R’ Us é uma gigante norte-americana do varejo de brinquedos, com cerca de 1,6 mil lojas e 64 mil funcionários. No ano passado, faturou US$ 11,5 bilhões. Apesar do tamanho impressionante, a empresa entrou com um pedido de recuperação judicial hoje (19/9) para as suas operações dos Estados[…]

Leia mais »