inova.jor

inova.jor

Como o 5G pode incentivar o crescimento econômico

Oyama (e.) e Ogawa (c.) falam sobre o 5G / inova.jor
Oyama (e.) e Ogawa (c.) falam sobre o 5G / inova.jor

A quinta geração das comunicações móveis (5G) deve trazer impactos econômicos positivos, tornando as empresas mais eficientes e ajudando a vencer a crise causada pela pandemia.

Estudo da IHS Markit aponta que, até 2035, a cadeia global do 5G vai gerar US$ 3,6 trilhões, suportando 22,3 milhões de empregos.

Helio Oyama, diretor de Gerenciamento de Produto para América Latina da Qualcomm, e Márcia Ogawa, sócia-líder de Tecnologia, Mídia e Telecomunicação da Deloitte, falam sobre o impacto econômico da tecnologia no inova.jor cast.

Este é o segundo de uma série de três episódios que tratam do 5G, com apoio da Qualcomm.

O podcast é publicado semanalmente no Spotify,  DeezeriTunes e SoundCloud.

Redes privadas

Márcia Ogawa destaca setores da economia brasileira que podem ser beneficiados pela tecnologia.

“O Brasil é um país muito grande e muito diverso. Existem setores industriais altamente relevantes e estratégicos para o país, como agricultura, mineração, óleo e gás e a própria indústria manufatureira. E existe aplicação do 5G para essas indústrias”, afirma.

Hélio Oyama ressalta a importância das redes privadas de 5G para as empresas.

“Com o 5G, pela sua própria natureza de ser uma tecnologia sem fio, o tempo de realocação de máquinas vai diminuir de forma significativa, aumentando, portanto, a eficiência da indústria”, disse.

Para saber mais, ouça o podcast.

Publicações relacionadas

Retrospectiva: Muschellack (e.) fala sobre indústria 4.0 / Gabriel Rodrigues

Por que é importante para o Brasil aderir à indústria 4.0

Aderir à quarta revolução industrial é essencial para que o Brasil garanta competitividade no mercado internacional. Conversei com Erich Muschellack, superintendente geral da Fundação Certi, sobre indústria 4.0, quinta geração das comunicações móveis (5G) e empreendedorismo. Investimento “Tirando-se algumas empresas que realmente despontam nessa área, em geral, as indústrias brasileiras[…]

Leia mais »
José Antonio Felix anunciou a primeira fazenda de energia solar da Claro / Renato Cruz/inova.jor

Claro Brasil investe em geração de energia limpa

A Claro Brasil anunciou ontem (14/12) um programa de geração distribuída de energia limpa. Controlada pela mexicana América Móvil, a operadora tem como meta reduzir em mais de 100 mil toneladas métricas a emissão de dióxido de carbono por ano. Isso equivale a tirar quase 420 mil carros de circulação.[…]

Leia mais »