inova.jor

inova.jor

Febraban tem R$ 1 milhão para projetos de educação financeira

Programa de aceleração busca projetos de educação financeira / Unsplash
Programa de aceleração busca projetos de educação financeira / Unsplash

Terminam em 9 de fevereiro as inscrições para o Programa de Aceleração Meu Bolso em Dia Febraban.

Os interessados podem se inscrever no site da iniciativa, que está em sua primeira edição.

Com apoio do Banco Central e da aceleradora Voe sem Asas, o programa da Federação Brasileira de Bancos busca impulsionar empresas com projetos de educação financeira.

O programa terá investimento de R$ 1 milhão, englobando mentorias, workshops e aportes financeiros.

Critérios de seleção

Podem se inscrever empresas de pequeno e médio porte (PMEs), empresas enquadradas no Simples Nacional, Organizações Não Governamentais (ONGs) e Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscips), constituídas no país.

Os projetos devem respeitar os seguintes critérios:

  • protótipos em estado avançado com testes realizados com usuários ou projetos em estágio de ganho de escala;
  • é desejável que as iniciativas apresentadas sejam direcionadas a públicos vulneráveis, como as populações idosa e de baixa renda, além da população superendividada. No entanto, são aceitáveis projetos que se destinem as pessoas estão começando a guardar dinheiro e investidores com mais experiências;
  • elementos de inovação presente na solução (produto/serviço); e
  • potencialidade de alcance referindo-se ao mercado, pessoas e usuários. Valor e benefícios gerados pela solução.

Fases do projeto

Uma banca de especialistas vai selecionar 20 projetos para a primeira fase do processo, de oito semanas, com workshops e sessões de mentoria.

Depois disso, uma comissão julgadora escolherá até 10 organizações para continuar na segunda fase do programa, com duração de oito semanas. Nessa fase, as empresas vão elaborar o plano de negócios dos projetos nessa fase.

Por fim, uma comissão formada por executivos de bancos e representantes da Febraban, do BC e da Voe sem Asas vai selecionar até cinco projetos para receber aportes financeiros e participar da terceira fase, com duração de 12 meses.

Publicações relacionadas

Programas da Startup Farm já apoiaram 276 empresas / Mariana Lima/inova.jor

Quem vai ser o próximo unicórnio? Como é o dia de uma startup acelerada

Às 14 horas, a Avenida Paulista, em São Paulo, está borbulhando. O número de pessoas que andam depressa se compara à quantidade de negócios acertados nos prédios da região. De bancos a representação de governos, tudo acontece por lá. A 400 metros da avenida, novas empresas buscam networking e contratos num prédio moderno de seis[…]

Leia mais »
Luis Minoru, diretor de estratégia da TIM, anunciou parceria com o Cubo / Renato Cruz/inova.jor

Quais são os planos da TIM para startups

A TIM quer se aproximar do ecossistema brasileiro de startups. O primeiro passo foi uma parceria com o Cubo Coworking Itaú, anunciada hoje (19/7). Por enquanto, os planos não preveem investimento financeiro. Mas a operadora não descarta pegar participação societária em empresas iniciantes em troca de acesso a ativos como sua base de 67 milhões[…]

Leia mais »